INFORMÁTICA EDUCATIVA
Estratégia de Leitura Aplicada às Várias Ciências

ARTIGO CIENTÍFICO

INFORMÁTICA EDUCATIVA: ESTRATÉGIA DE LEITURA APLICADA ÀS VÁRIAS CIÊNCIAS

PROFESSOR EDILSON DOS REIS TORRES

RESUMO

A estratégia de leitura aplicada às várias ciências corresponde às diversas disciplinas do aluno em sua série escolar de ensino. O professor, por meio do plano de ação, estabelece comandos aos alunos a fim de desenvolver a pesquisa. O comando pode ser por meio de estudo dirigido, roteiro de pesquisa, situação-problema, resolução de questões objetivas e/ou subjetivas, análise de provas comentadas, etc. O professor é quem estabelece a estratégia de leitura a fim de atender às necessidades do aluno. Em suma, o artigo se baseia na experiência da implantação da informática educativa no Centro de Ensino Fundamental 08 de Planaltina-DF, especialmente o laboratório de informática com extensão das atividades na biblioteca da escola, por meio de informações e pesquisa. O projeto trabalha a informática educativa como acompanhamento pedagógico e reforço de aprendizagem, usando recursos técnicos, pedagógicos e metodológicos do objeto de estudo, de acordo com a nossa geração digital: facebook, whatsApp, youtube, enfim, a internet como recurso revolucionário da educação. O importante não está simplesmente nos recursos tecnológicos, o grande desafio é como usar a tecnologia na educação.

Palavras-chave: Internet. Gestor. Gerente de Projetos de Software.

1 INTRODUÇÃO

A estratégia de leitura aplicada às várias ciências desse artigo será desenvolvida no laboratório de informática do Centro de Ensino Fundamental 08 de Planaltina-DF e terá como extensão de suas atividades a biblioteca, que será também um elemento incentivador para o aluno na busca do conhecimento. O público alvo são alunos dos dois turnos, matutino e vespertino, e profissionais da área de educação do CEF 08 de Planaltina-DF.
O professor, por meio do plano de ação, estabelece comandos aos alunos a fim de desenvolver
a pesquisa. O comando pode ser por meio de roteiro de pesquisa, estudo dirigido, situação-problema ou até mesmo questões objetivas comentadas. O docente é quem estabelece a estratégia de leitura, pois é o profissional qualificado para estabelecer diretrizes para o trabalho escolar.
Pensando nisso, como aliar educação à tecnologia? Como estudantes utilizam a informática para aprimorar a leitura, estudar, estabelecer metas, desenvolver pesquisas e resolver problemas?
Essa pesquisa justifica-se para mostrar aos profissionais que aliar educação à tecnologia, o professor necessita de planejar sua aula focando esses dois aspectos e empregar uma metodologia, uma estratégia voltada à Informática Educativa: estratégia de leitura aplicada às
várias ciências como acompanhamento pedagógico das atividades do aluno e reforço de aprendizagem da sua área de conhecimento, e podendo, ser for o caso, interagir a sua disciplina com as demais área do conhecimento, desenvolvido por meio de um tema gerador, a interdisciplinaridade.
O objetivo desse artigo é compreender como a informática pode ser aliada na educação, a função do gerente de projetos de software e as vantagens e desvantagens da internet.
Para realização desse artigo utilizou-se a pesquisa bibliográfica, na qual foram utilizados livros, artigos científicos e dissertações que tratam do referido tema.

2. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO

O presente artigo se baseia na experiência da implantação da Informática Educativa do Centro de Ensino Fundamental 08 de Planaltina-DF. O projeto será realizado no laboratório de informática da escola e terá como extensão de suas atividades a biblioteca da escola, lugar adequado para estudo e pesquisa. O projeto trabalha a informática educativa como acompanhamento pedagógico e reforço escolar de aprendizagem, empregando estratégia de leitura aplicada às várias ciências por meio de recursos pedagógicos, técnicos e metodológicos, como o bom uso do computador e da internet.
Como ressalta o professor Arnaldo
Niskier: 

(...) a informática, hoje, tem uma participação muito grande em diversos ramos da atividade humana. Mais que isso, ela é indispensável nas áreas em que é introduzida. Portanto, aplicá-la à educação apresenta-se como algo fundamental para uma adaptação do processo educativo às características da sociedade contemporânea. Diante disto, pode-se constatar que a importância de projeto como este, de iniciativa pública, reside não só no fato de possibilitar às crianças um contato com uma tecnologia a qual não podem ignorar, sob pena de sofrerem uma exclusão profissional ou, até mesmo, social. Sua importância também está no oferecimento a estas crianças de um método de ensino lúdico, com a utilização de toda a interatividade e desenvolvimento da criatividade e do raciocínio lógico que a informática apresenta a todos nós, sejamos crianças, jovens ou adultos. (NISKIER, 1992, p. 28)

Destaca-se nesse momento, a importância da intervenção de um gerente de projetos de software na reconstrução da prática pedagógica do professor no uso do computador e da internet. O professor precisa sempre refletir de como aplicar a tecnologia à educação dessa geração digital. Logo, cada professor deve ir ao laboratório de informática de sua escola e aplicar a estratégia de ação adequada a sua área de conhecimento e, se possível, integrar a estratégia a outras áreas do conhecimento.
Segundo Gouvêa:

O professor será mais importante do que nunca, pois ele precisa se apropriar dessa tecnologia e introduzi-la na sala de aula, no seu dia-a-dia, da mesma forma que um professor, que um dia, introduziu o primeiro livro numa escola e teve de começar a lidar de modo diferente com o conhecimento - sem deixar as outras tecnologias de comunicação de lado. Continuaremos a ensinar e a aprender pela palavra, pelo gesto, pela emoção, pela afetividade, pelos textos lidos e escritos, pela televisão, mas agora também pelo computador, pela informação em tempo real, pela tela em camadas, em janelas que vão se aprofundando às nossas vistas (GOUVÊA, 1999, p. 45).

Mas, para o professor apropriar-se dessa tecnologia, deve-se segundo FRÓES convidar o corpo docente a fim de planejar suas atividades utilizando o laboratório de informática como recurso de ensino e aprendizagem. Ele afirma, também, que não se trata de fazer o professor especialista em informática, mas, sim, fazer uso dos recursos tecnológicos gradativamente, contribuindo para o ensino-aprendizagem da construção de sua competência e garantindo novas possibilidades de sua utilização educacional.

Portanto, o professor deve ser constantemente estimulado a modificar sua ação pedagógica. Assim, entra a figura do gerente de projetos de software, que está constantemente sugerindo, incentivando e mobilizando o professor. O gerente de projetos é de suma importância para o planejamento e execução do projeto. Esse profissional quem gerencia pessoas para uma interação mútua visando a qualidade do projeto. Ele assume o papel de líder e apresenta habilidades específicas, tais como: organização, liderança, comunicação, negociação, persistência, habilidade para gerenciar crise, resolver problemas e tomar decisões.

2.1. PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO (PPP) E A FUNÇÃO DO GERENTE DE PROJETOS DE SOFTWARE.

O Projeto Político Pedagógico é o projeto de vida da escola, é uma reflexão constante da vida escolar, que norteia a vida da instituição, é um projeto que jamais termina, mas não se perde, pois traça-se objetivos: missão, visão e valores institucionais, é um documento fundamental da escola. Em suma, o Projeto Político Pedagógico é um instrumento que norteia o trabalho da escola no que tange a gestão escolar.
Dessa forma, o plano de aula é muito importante para o professor, o PPP é indispensável ao gestor escolar. Esse projeto não se instala somente no interior da escola. Ele vai além, comunidade escolar deve participar desse projeto. A figura de um político pode também dar encaminhamento ao projeto ou um representante dele. São aspectos importantes que devem ser trabalhos no PPP: 1. Identidade institucional. 2. Fundamentos éticos, políticos e pedagógicos. 3. Valores: respeito mútuo nas relações de trabalho. 4. Fundamentos epistemológicos: conhecimento. 5. Conhecimento para o saber atual. 6. Representação do mundo: o conhecimento é uma metáfora. 7. Reconstrução do conhecimento pelo saber. 8. Relações didático-pedagógicas. 9. Construção interativa do conhecimento: professor-aluno-conhecimento. 10. Projetos setoriais: educação infantil, educação fundamental, ensino médio ou laboratório de informática. 11. Planejamento de curso das várias disciplinas. 12. Planejamento de aula dos professores de acordo com o planejamento de curso das diversas disciplinas.
Mas jamais podemos esquecer também da figura
do gerente de projeto de software para implantação do projeto de Informática Educativa. Ora, quem é o gerente de projetos de software? Que importância ele tem? Quais são suas atribuições no que tange a Tecnologia da Informação? Que contribuição este profissional pode trazer para a escola?
O gerente de projetos de software tem ênfase nos processos, práticas, métodos e ferramentas de gerência de projetos da Tecnologia da Informação, apresentando toda a base teórica e prática referentes ao assunto. É ele quem aplica técnicas de gerenciamento de projetos e práticas por meio do uso do estudo dirigido, análise de custos e benefícios, gerenciamento de execução do projeto e gerenciamento da qualidade do projeto. Ele se preocupa também com situações que envolvam relacionamento interpessoal, técnicas de negociação, comunicação, solução de conflitos e liderança.
O gestor como gerencia projetos não trabalha sozinho, ele age como um coordenador pedagógico que necessita de todo apoio do diretor da escola para que suas idéias produzam os efeitos desejados. O gerente de projetos de software foca na Tecnologia da Informação a fim de produzir softwares que facilitarão o projeto em questão.

2.2.. O USO DA INTERNET: VANTAGENS E DESVANTAGENS.

Existem diversas formas de comunicação de pesquisa para realização de pesquisa. Todas elas são importantes e servem como diretrizes para realização do estudo. Elas também servem como recursos e, posteriormente, estratégias de leitura, análise e interpretação de textos. Pode ser entrevista por meio de rádios, estudo dirigido por meio de questionário ou roteiro de uma palestra, comentários de filme assistido na televisão, pesquisa de campo ou estudo do caso depois de feito a leitura de uma obra literária, leitura do jornal como material suplementar para a realização de um seminário de uma obra bibliográfica.
Enfim, são inúmeras formas de comunicação para realização de uma pesquisa. Dentre essas comunicações, merece destaque no cenário atual a internet. Hoje, até mesmo nos lugares mais simples, sua importância torna-se mais viva. A internet veio para revolucionar a comunicação entre pessoas, instituições, culturas. Veio para alavancar ideias, quebrar preconceitos e transformar o mundo. Trouxe, então, vantagens assim como desvantagens para realização de pesquisa. Inclusive, o projeto em análise.
Como vantagens, apresenta-se a multiplicidade de ideia sobre o tema a fim de escolher o que mais agrada, a facilidade de encontrar vídeos sobr
e o tema no youtube, a dinâmica própria da internet, a leitura e análise de trabalhos acadêmicos em alguns sites de pesquisa, consultoria pedagógica sem ônus, além de bate-papos informais sobre o tema de pesquisa com utilização de programa que necessita da internet, como por exemplo, whatsApp.
Por outro lado, a internet traz desvantagens no que tange à pesquisa. Com o uso da internet, não se deleita numa obra escrita como o livro. Não se apaixona pela obra bibliográfica dia a dia. Não estabelece os preciosos horários para debruçar sobre o conhecimento expresso numa revista, livro ou jornal. O mundo virtual é dinâmico. O dinamismo tem o preço, a análise apurada dos fatos dar-se-á com disciplina, organização e concentração do objeto de análise. O mundo estático, que é adverso à internet , traz benefícios à pesquisa, estudo pormenorizado das ideias com disciplina e gozo ao conhecimento. A internet é uma praga de um ecossistema. Ela sobreviverá sempre.

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A Informática Educativa deve fazer parte do Projeto Político Pedagógico da escola, projeto esse que define todas as pretensões da escola em sua proposta educacional. Pode-se deixar bem claro que o projeto de Informática Educativa necessita ser incorporado ao PPP - Projeto Político Pedagógico da escola. Caso contrário, se não tiver apoio da Direção da escola torna-se quase impossível a implantação do projeto.
Deduz-se, então, que a metodologia de leitura dada pelo professor envolve às várias áreas do conhecimento. O professor, por meio do plano de aula, desenvolve a estratégia de ação adequada à sua área de conhecimento para que o aluno desenvolva a leitura com a finalidade de pesquisa.
Conclui-se que a internet oferece uma gama de vantagens para ter acesso ao conhecimento. Basta saber selecionar as informações que são importantes e verídicas.
Enfim, demonstrou-se com esse artigo a importância da informática aliada a educação e a relevância do professor utilizar essa ferramenta para que o aluno alcance o conhecimento científico.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; ALMEIDA, Fernando José de. Uma zona de conflitos e muitos interesses. In: Salto para o futuro: TV e informática na educação. Secretaria de Educação a Distância. Brasília: Ministério da Educação, 1998. 112 p. Série de Estudos Educação a Distância.

BORBA, Marcelo C. e PENTEADO, Miriam Godoy - Informática e Educação Matemática - coleção tendências em Educação Matemática - Autêntica, Belo Horizonte - 2001.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdisciplinaridade: um projeto em parceria. São Paulo: Loyola, 1993.

GOUVÊA, Sylvia Figueiredo - Os caminhos do professor na Era da Tecnologia - Acesso Revista de Educação e Informática, Ano 9 - número 13 - abril 1999.

NISKIER, Arnaldo. Educação Brasileira - 500 anos de História. 1500-2000. Rio de Janeiro: Consultor, 1995, 2 ª ed.


Consulte nossos sites. É SÓ CLICAR ABAIXO: